Bem, muitas pessoas nos perguntaram como é Malta e como está sendo nossa adaptação por aqui, quais foram as primeiras impressões que tivemos desta Ilha… Então aí vai…

Na verdade, Malta é a maior Ilha de um arquepélogo composto por três ilhas habitadas (Malta, Gozo e Comino), e outras ilhas desabitadas  e rochedos menores, localizada no Mar Mediterrâneo, ao sul da Itália, com uma área terrestre de 316 km². Sua língua oficial é o Maltês e o Inglês é a sua segunda língua. O Maltês é um idioma bem curioso que herdou um arsenal de culturas e expressões das mais variadas potências que governaram a ilha nesses 7 mil anos de existência, incluindo fenícios, romanos, árabes, franceses, britânicos e por aí vai….
Sua população é composta de, aproximadamente, 420 mil habitantes. No verão, a Ilha lota e está sendo o destino de vários estudantes que chegam de todo o mundo para aproveitar este pedacinho de paraíso que se encontra por aqui e também, a disponibilidade de aprender outra língua.

O que mais impressiona por aqui é a segurança, cansei de ver pessoas deixando roupas na calçada para secar, sentados nos parques a noite com o laptop nas pernas, celulares e sem preocupação nenhuma. Aliás, ao chegarmos aqui andamos por essas ruas a noite, várias vezes, com nossos celulares na mão para encontrar os lugares que queríamos e a sensação de segurança é tão grande que nos deixou aliviados a cada passo que demos. Claro que cuidado nunca é demais, em baladas ou em lugares onde a quantidade de turistas é maior, sempre temos que ficar de olho, mas em geral, a segurança e a tranquilidade imperam por este lugar. Conversando com todos por aqui, fica claro que assalto é algo de “outro planeta”… hehehe…

Roupas secando na calçada

As paisagens, ahhh como são lindas!!! Cada lugar que visitamos foi um suspiro diferente! Praias lindas, lugares históricos, cenários de filmes, águas cristalinas, igrejas exuberantes, ruelas com um toque especial… Não tem como não se apaixonar por cada lugarzinho daqui…

Slima
Vista do Popeye Village
Vista interna do Popeye Village
Praia de Mellieha
Mdina
Água Cristalina
Uma rua qualquer….
Uma das 365 igrejas que podemos encontrar por aqui!!
Golden Bay
Ding Cliffs
Ding Cliffs
Gozo Island
Gozo Island
Bugibba
Blue Grotto
Birgu
Birgu
Gozo Island – Azure Window quando ainda existia 

Outra coisa boa por aqui é o custo de vida, Malta é considerado um dos lugares mais baratos de se viver na Europa. Com mais ou menos 400,00 euros conseguimos fazer mercado e nos manter por 1 mês (e comprando até umas besteirinhas, de vem em quando)… Claro que se for para converter em reais, não fica tão atrativo, mas para quem recebe em euros, é bem razoável!!!
Os restaurantes por aqui também são bem razoáveis nos preços, com uns 30 euros (o casal) conseguimos comer super bem!! E se for optar por pedir uma pizza em casa, com uns 15 euros (algumas por 10 euros) você consegue comer e em alguns lugares, a entrega é grátis. Iupiiii!! Fome ninguém passa.. hehehe

Saúde por aqui também é prioridade! Somos obrigados a fazer seguro saúde privado, no primeiro ano, (por sermos estrangeiros), mas o que usamos mesmo é o público. O Hospital Público Mater Dei tem uma infraestrutura gigantesca, atendimento demora um pouco, porém, se for emergência você será rapidamente atendido! Para as mamães que acabaram de ter seus bebês, há uma clínica (dentro do hospital) especializada em amamentação, o que torna tudo bem mais fácil para mamãe e o bebê nos primeiros meses de vida! Aliás depois de dar a luz, as midwifes (doulas) fazem 3 visitas na casa da mamãe, para ver se está tudo bem (questão física e psicológica) e ajudar com qualquer questão referente ao recém nascido. Muito legal!!

Como nem tudo são flores, deixo aqui também alguns pontos fracos que pude notar ao longo deste período…

  • Os processos para tudo aqui é muito burocrático e demorado, as leis parecem mudar a cada instante, o pessoal que trabalha em órgãos públicos estão, em sua maioria, confusos e quase tudo é feito por cartas,  pouco por e-mail, o que dificulta ainda mais resolver pequenos processos que surgem;
  • As ruas são bem estreitas (muitas delas só passa 1 pessoa por vez), há muito lixo espalhado (mesmo tendo bastante campanha de reciclagem), há muitas latas, butucas de cigarro, papéis no chão, por todos os lugares que andamos… E olha que não foram poucos os lugares…
  • Pó e construções, gente como tem pó neste país!! Senhorrrr, minha renite manda lembranças… hehehe… Foi difícil conviver com tanto pó, há construções em todos os lugares, por isso um bom aspirador (compramos um I Robot – Roomba) é super bem vindo!!!
  • E o barulho, nossa, eles começam às 7h da matina e vão até umas 15h aqui perto de casa e no sábado também… O bom é que o dia já começa cedo e o coração acelerado! hehehe
  • Há muitos gatos (felinos mesmo) por aqui, muitooooossss mesmo… Eles estão espalhados por todos os cantos desta Ilha! E não são feios e magrelos não, são até bem lindos!! Porém com eles, vem a sujeira, cocôs espalhados por todos os cantos também… O pessoal por aqui realmente ama gatos e sempre que podem estão alimentando-os (por isso é difícil encontrar gato desnutrido!). A questão das doenças é que não sei como fica, pois é meio difícil vacinar todos eles e pelo que vejo, não existe uma campanha para castração e vacinação dos bichinhos…
Gatos fofos de rua!!
  • O pessoal não é muito educado no trânsito com os outros motoristas, escutamos buzinas e gritarias o tempo todo e até, já presenciamos várias pequenas batidas, porém, com os pedestres, são extremamente gentis, param sempre na faixa e até, muitas vezes, fora dela (sim, a galera por aqui não usa muito essa tal de faixa de PEDESTRE)….
  • Pet Shop: não encontramos um em cada esquina, como no Brasil. E eles não têm o costume de dar banho, semanalmente, nos bichanos. Até estranharam quando perguntamos sobre isso, por este motivo, optamos por comprar os produtos indicados e dar banho em casa mesmo, levamos no pet shop apenas quando precisa fazer a tosa higiênica e a geral… Pelo menos economizamos mais dessa maneira… Ahhh, quanto à ração, achamos algumas iguais as do Brasil e outras tantas variedades, com isso não tem com o que se preocupar!! O kako até engordou umas gramas, pois ele amou a comida daqui…
  • O transporte público por aqui é bom (principalmente na baixa temporada), existe um aplicativo, o “Tallinja”, que funciona muito bem, nos diz qual ônibus faz a melhor rota, os horários, os caminhos alternativos… Porém, se o ônibus estiver cheio (nem se compara com o “cheio” do Brasil), ele não pára e o próximo pode demorar a chegar e você pode perder a hora do compromisso… Por isso, programar-se com no mínimo 2h de antecedência, é a melhor pedida! No verão vira um caos, aumentam o número de ônibus, porém ainda não da conta de todo o pessoal que vem visitar a Ilhota, o negócio é ter paciência ou se preferir pegar taxis, andar mais a pé, alugar um carro…

Bem, estas foram as primeiras impressões que tive por aqui, com o tempo vamos nos adaptando cada dia mais e mais e assim nos acostumando com as coisas que nos desagrada, pois com certeza, as coisas boas compensam e nos fazem querer explorar cada dia mais cada pedacinho deste paraíso!

Até a próxima!

Beijos

Rô da Rosa