… Me considero uma pessoa feliz e realizada. Tenho uma família maravilhosa, pais sensacionais que me ensinaram o verdadeiro sentido da vida, a busca pela felicidade!!Viviane Patrícia

Arquivo pessoal Viviane Patrícia

A renúncia é algo que já vem no pacote da Maternidade, renunciamos ao banho demorado, aos pratos quentes, ao sono profundo e, muitas vezes, também à profissão. É sobre este assunto que falaremos hoje, com a super Mãe de Salto Agulha do João Arthur (12 anos) e Vitor Roberto (6 anos), Viviane Patrícia, formada em Biologia, especialista em Ciências Fisiológicas e Mestre em Neurociências, a qual optou hoje, por trabalhar meio período fora de sua área de formação para poder se dedicar aos filhos quando os mesmos não estão na escola. Ela nos conta um pouquinho mais sobre esta decisão, suas experiências, frustações e realizações…

Viviane com seus dois filhos: Vitor Roberto (6 anos) e João Arthur (12 anos) – Foto arquivo pessoal Viviane Patrícia

Qual era a sua antiga profissão? Você se sentia realizada na época em que trabalhava na área?

Fui professora universitária durante 7 anos, antes também lecionei para o ensino fundamental e médio. Sempre gostei muito de dar aulas, essa troca de informações com os alunos me realizava, amava lecionar!!

Nos conte um pouco sobre a sua decisão de deixar a sua profissão de lado para trabalhar na árdua tarefa de cuidar dos filhos… Seu marido te apoiou? Foi sempre assim, ou só depois do segundo filho?

Quando meu primeiro filho nasceu, meu marido também foi transferido de município para assumir um novo cargo, então, na época a minha opção foi pedir demissão do meu emprego. Com isso, não tive dúvida em me dedicar ao meu pequeno exclusivamente, até que ele fosse para uma escola. Aos 2 anos e 10 meses coloquei-o na escola, assim, resolvi retomar minha vida profissional, dei aulas em cursos técnicos da saúde e também para o supletivo estadual. Quando engravidei do segundo filho ainda estava em sala de aula, porém, quando ele nasceu minha vida com duas crianças não teve mais espaço para o trabalho fora de casa… Meu marido é meio bipolar a respeito desse quesito, kkkk, às vezes me cobrava para trabalhar o meu potencial e em outras agradecia por eu estar em casa cuidando dos nosso filhos. Hoje, ele aceita a minha decisão e concorda que se eu não estivesse em casa, as coisas seriam mais difíceis. Atualmente, enquanto as crianças estão na escola, trabalho meio período em um escritório, totalmente fora da minha área, mas no outro período estou com os meus filhos, me dedicando a eles. Com certeza ser Mãe, é a mais árdua e gratificante profissão da terra!!

Hoje, você se arrepende ou sente orgulho de ter se afastado da sua profissão pelos filhos? Por que?

No começo me senti um pouco insegura a respeito, hoje não tenho dúvida que foi a mais certeira decisão. Ter essa proximidade com eles me ensina muito que ser mãe é um eterno aprendizado, e que você se atualiza todos os dias e nunca para de aprender.

Qual é a melhor parte de poder se dedicar inteiramente aos filhos? 

A melhor parte é sentir esse amor incondicional, de que aquele pedacinho seu está crescendo e se tornando um ser humano, cheio de defeitos e cheio de qualidades que você ama por inteiro. É maravilhoso ser mãe, uma realização que nunca tem fim!

E qual é a parte mais difícil/frustrante de estar com os filhos 100% do tempo? Existe algo de ruim em sua opinião?

O dia-a-dia de uma mãe não é fácil… você tem várias dúvidas sobre como educar corretamente, lidar com os desafios diários de errar e acertar… isso é frustrante, quando você vê que não existe manual, horas você acertou, ok! horas você tomou uma decisão totalmente errada e agora já era, não tem como voltar atrás, você tem que aprender com seus erros e bola pra frente!! Talvez esse seja o lado ruim, ou não, porque agente acaba aprendendo mais com os nossos erros e dessa forma melhorando…

Você já sofreu julgamentos sobre esta sua decisão? Se sim, como lidou com isso?

Com certeza, algumas pessoas não entendiam a decisão de largar uma profissão e ser mãe… no começo eu ficava um pouco triste e pensativa a respeito, puxa, eu estudei tanto e agora estou em casa!! Hoje me sinto mais tranquila, entendo que cada pessoa tem uma verdade e tem seus valores, que devem ser respeitados. Não me arrependo um sequer minuto da minha decisão, acho que ficar perto deles me torna um ser humano melhor, e isso não tem preço!

Você pensa em algum dia retornar a sua antiga profissão? Ou está satisfeita desta maneira?

Quando eles crescerem, com certeza penso em voltar a estudar e voltar a lecionar, sempre fui muito feliz como professora. Tudo tem seu tempo e logo o meu tempo será outro, outros desafios e obstáculos a serem vencidos. Hoje me sinto satisfeita por conseguir ficar com os meus filhos, ser MÃE, sou feliz assim!

 

Você se sente uma pessoa privilegiada em poder curtir seus filhos por mais tempo que os pais que trabalham fora de casa?

A vida é feita de escolhas, a minha foi ser MÃE, me sinto super privilegiada em poder estar com eles. Tem dias que da vontade de sair correndo, kkk, mas com certeza a maior parte do tempo é gratificante.

Qual o conselho você daria para as mães que se sentem julgadas pela sociedade, pois pararam de trabalhar fora de casa para poder ficar mais tempo com filhos.

Cada um deve se sentir bem com suas escolhas, não importa o que as pessoas vão achar, você – e somente você – é que vai saber o que realmente vai te fazer feliz!

Quais são as três palavras que melhor descrevem sua vida de mãe?

Renúncia, amor e dedicação.

Como você gostaria que seus filhos se lembrassem de você no futuro?

Não sei… uma mãe dedicada talvez… o que mais me importa é como eles irão se ver… acho que o futuro deles é uma resposta do que foi construido agora, tomara que eu consiga fazer um bom trabalho!

Para você, ser Mãe de Salto Agulha é…

Lidar com os desafios constantes, viver o dia-a-dia com sabedoria, com amor, com muita paciência, aliás ter paciência é realmente estar em um Salto Agulha!

Família linda reunida!! Foto arquivo pessoal Viviane Patrícia