Depois de 4 meses resolvi parar e analisar como estou me sentindo… Este turbilhão de sentimentos que invadiu meu ser e me transformou em mãe, em uma leoa, em uma pessoa que jamais pensei que pudesse ser! Separei isso tudo que estou sentindo em 3 estágios: lado Físico, lado Espiritual e lado Emocional, então vamos lá…

Físico: o meu corpo ainda não é meu, pelo menos é assim que me sinto, meu corpo está sendo emprestado para que outro ser o usufrua e sinta-se protegido e seguro nele! Me olho no espelho e não me reconheço, vejo peitos mais caídos, barriga ainda saliente e os escapes de xixi que ainda insistem em acontecer quando espirro! Cabelo? Ahh o cabelo tão lindo e forte da gravidez, deu lugar a cabelos espalhados por toda a casa, caem aos maços e estão bem mais quebradiços… Mas também, no espelho, vejo uma mulher feliz e realizada em meio ao cabelo amarrado diariamente, nas olheiras escondidas pelo corretivo, nas unhas, sobrancelhas e depilação por fazer e nos braços cansados por carregar 6kgs o dia todo para lá e para cá… vejo uma mulher que está entregue ao papel que lhe fora destinado, papel de mãe, pois sabe que um dia o seu corpo voltará a ser novamente só seu, ele voltará a praticar exercícios regularmente, voltará a ser lisinho e cheio de cremes cheirosos! Hoje ele está cheio de amor, sendo utilizado para nutrir um outro corpo, se mantendo vivo e ativo para proteger um alguém muito mais importante e que demanda toda a sua energia, é um corpo forte que cuida, ampara e ama! Não poderia querer um corpo melhor por agora!!! Ah e só para constar a minha curva mais linda é o meu sorriso que nunca deixei de ter nos lábios todos os dias ao acordar nesses 4 meses de pós-parto.
Maternidade é isso: doação do corpo!

Espiritual: a única palavra que me vem quando penso na área espiritual é Gratidão! Sim, estou exatamente onde pedi tanto para estar, Deus me presenteou com algo muito maior, então, naqueles momentos de desespero, de exaustão, de dias em claro, me pego agradecendo… pois estar com meu filho nos braços e poder acalentar seu choro com um abraço ou fazê-lo rir mesmo estando podre de cansada é ter a certeza de que somos mais fortes que tudo, de que conseguiremos passar por todas as fases inteiras e mais confiantes do que antes e com certeza com muito mais amor!
Ah esse amor, é um amor que chega a faltar o ar, aquele que aperta o peito, é o entendimento do Incondicional, do transcendental, do além, do sentido maior de todas as coisas… É o significado do amparo, da proteção, do confiar, do estar ali por ele, para ele e com ele! É o olhar para ele dormindo e querer ficar para sempre na mesma posição, só admirando cada detalhe do seu pequeno rostinho, tão puro, tão inocente, tão frágil, tão perfeito….
Maternidade é isso: doação de alma

Emocional: oh que montanha russa de sentimentos, temos muitos altos e baixos todos os dias, muito choro de felicidade e sorrisos de desespero… Graças a Deus não tive o tão temido Baby Blues, aquela tristeza sem fim, mas tive sim, o choro de cansaço, choro de querer dormir um pouquinho mais, choro de não saber mais o que fazer para acalmar um choro desesperado, teve o choro de alívio depois que ele finalmente adormeceu. Mas também teve o choro de felicidade, choro de escutar a gargalhada mais gostosa, choro ao escutar uma música em que a letra faz todo o sentido para o momento… Teve o choro de não acreditar que já sou mãe, de ver um sonho se tornando realidade nos meus braços, choro de saber que ele logo vai crescer e não vai mais balbuciar “goin goin goin”…Mas não teve só choro não, teve é muitos sorrisos, muitas gargalhadas, muita felicidade, muitos momentos deliciosos, muita cumplicidade, muito cheiro no pescoço, muita conversa, muito olho no olho, muita cantoria, ah e já disse que teve muitos sorrisos? Sim, teve e terá ainda muito, muito mais….sim, esse turbilhão de emoções é o que está me movendo nesses 4 meses de pós-parto, sentimentos que me fazem mergulhar ainda mais profundamente no meu “eu”, trazendo à superfície alguém muito melhor, alguém que mesmo com medo encara tudo e todos, alguém que fará de tudo para ver seu filho feliz, sem pedir nada em troca, pois, maternidade é isso: doação de coração!


Estou totalmente entregue à Maternidade, apaixonada por um mocinho de não mais que 60cm que consome toda a minha energia e me dá em troca todo seu amor! Este é o momento dele, só dele, e como cada coisa tem sua hora, as outras coisas que esperem! Não tenho pressa em querer que essa fase passe logo, porque sei que depois vou morrer de saudades de vê-lo tão pequeno e indefeso!
Cada dia me deparo com novos desafios, mas também com novos motivos para ser ainda mais feliz! São 4 meses que parecem ser 4 décadas e, às vezes, 4 dias, com a intensidade com que as coisas acontecem!

Que venham os próximos meses, anos, cheios de descobertas, desafios, muito cabelo bagunçado, muito vento no rosto nos trazendo a liberdade e a leveza de viver, muita luz para guiar nossos passos e muito, muito amor para seguirmos sempre pelo caminho do bem…

Sim, estou entregue e amando cada instante desta nova pessoa que me tornei, porque maternidade é isso, doação de corpo, alma e coração!!!

Rô da Rosa
Mães de Salto Agulha

One Comment

  1. Pingback: A importância dos primeiros 1000 dias de um Bebê – Estreitando Vínculos – Mães de Salto Agulha

Comments are closed.