“Nunca dê à mente mais do que der à mão da criança.” – Maria Montessori.

Para Maria Montessori, as mãos são os instrumentos da inteligência humana, com elas, a humanidade desenvolveu a agricultura, a fabricação de bens de consumo, a ciência e a medicina.

“Eu te amo” em Linguagem dos Sinais

Um pouquinho de história….

Em 1987, nos EUA, o Dr. Joseph García, especialista em Desenvolvimento Infantil, e duas professoras, Linda Acredolo e Susan Goodwyn publicaram uma pesquisa, depois de observar que bebês de pais surdos-mudos se expressavam, mesmo sem falar,  muito mais facilmente com seus pais (sendo que a partir dos 9 meses já utilizavam a linguagem dos sinais) do que aqueles que era filhos de pais ouvintes. A partir daí, a pesquisa foi realizada com pais ouvintes, utilizando a linguagem de sinais com seus bebês e observou-se a facilidade com que as crianças aprendiam a fazer os sinais e assim, notou-se, nitidamente, os benefícios que essa técnica trazia para todos os envolvidos, depois desta pesquisa,  veio o livro “Sinais, a linguagem do bebê”, baseado na realização de sinais intuitivos, que você pode encontrar na Amazon, é um livro bem antigo, mas que conta toda a história sobre o método, caso tenham interesse.

Quando eu fui Au Pair (babá) nos EUA, em 2007, esta técnica já era super utilizada pelas famílias americanas e foi lá que aprendi e me aprofundei sobre esse método de comunicação com bebês, porém no Brasil, pouco se falava e hoje, está se difundindo mais através de Youtubers, como Flávia Calina, livros, apps, etc.

Sobre o Método…

Baseado na Língua Brasileira de Sinais (LIBRAS) ou ASL (American Sign Language), a linguagem dos Sinais para os bebês utiliza-se de forma bem mais simplificada dos mesmos sinais, sem o aprofundamento para sentenças ou gramática. Também poderá utilizar-se de sinais inventados naturalmente pela criança ou o cuidador, pois o principal objetivo é fazer-se entender de forma fácil, leve e lúdica, sem pressão e sem repreender a criança. Recomenda-se começar os sinais quando o bebê estiver com 6 meses, sempre falando a palavra junto com o sinal, para que a criança faça a ligação e futuramente, quando tiver em condições, consiga substituir os gestos pela palavra.

Benefícios…

Muitos são os benefícios que fazem deste método um sucesso, o principal deles é o bebê ter a capacidade de se comunicar sem choro, sem frustrações e ter suas necessidades atendidas mais rapidamente. Outro benefício, tão importante quanto, é o vínculo mais forte que se cria com o bebê, deixando o espaço bem mais íntimo e harmonioso, fazendo com que o bebê fique mais tranquilo e paciente, pois sabe que será entendido e atendido em breve.
Alguns estudos comprovam também, que crianças que fazem uso a língua de sinais desde bebês, se comunicam melhor no futuro, têm um  vocabulário mais amplo e até mesmo, um melhor desempenho nos estudos.

De acordo com um estudo do NIH (National Institute of Health – EUA), bebês expostos a linguagem de sinais desenvolveram mais rapidamente a linguagem falada, apresentando habilidades verbais três meses mais avançados aos dois anos de idade do que crianças que não praticavam a linguagem.

Minha Experiência…

Conforme já comentado, conheci esse método lá em 2007 e via sua eficácia dia após dia com as crianças com quem lá eu convivia. Já tinha certeza que utilizaria com meu bebê assim que ele chegasse e ele chegou!!!

Comecei aos 6 meses de idade do Baby Felipe a utilizar os sinais, o primeiro foi “Mamar”, depois fui inserindo aos poucos os de “Acabou”, “Mais” e “Tchau”, mas só a partir dos 9 meses que ele começou a imitar alguns deles e atualmente, depois que fez 1 ano deslanchou, aprende e imita quase que instantaneamente. Hoje, com 13 meses, Baby Felipe faz mais de 10 sinais.

Baby Felipe dando “tchau” com 9 meses

Depois que o Baby Felipe aprendeu os sinais como “Mamar”, “Água”, “Comer”, “Livro”, “Mais” começamos a ensinar as “palavrinhas mágicas”, como “por favor” e “obrigado”, e ele já faz!!! É Muito bom ver a evolução dele dia após dia!!! Segue abaixo alguns desses sinais para que você possa praticar com seu bebê:

“Leite”, “Mamar” – No nível do peito, abrir e fechar a mão duas vezes, como se estivesse ordenhando uma vaca
“Água” – Utilize os dedos indicador, médio e anelar e bata com o indicador duas vezes no queixo
Baby Felipe sinalizando “água” na sua própria maneira
“Comer” – Comece com a ponta dos dedos tocando seu dedão e traga sua mão em direção à sua boca, duas vezes
“Mais” – Bata duas vezes a ponta dos dedos das duas mãos juntas.
Baby Felipe sinalizando “mais”
“Livro” – Comece com suas mãos juntas fechadas e então separe-as, como um livro abrindo
Baby Felipe sinalizando “livro” da sua própria maneira
“Por Favor” – Passe a mão de forma circular em seu peito, com a mão aberta
“Obrigado” – Com sua mão aberta e dedos tocando seu queixo, mova sua mão para longe do queixo

Vale destacar que existem livros que podem ajudar os pais a ensinarem a linguagem de sinais para o bebê, como, por exemplo, o livro já mencionado acima, “Sinais: a linguagem do bebê” ou “Baby Sign Language Basics: Early Communication for Hearing Babies and Toddlers”, entre outros.

Eu utilizo muito o app “Baby Sign”, para IPhone, o aplicativo é todo em inglês (utilizando o ASL American Sign Language) , porém muito fácil de entender e repetir. Falo as palavras, na maioria das vezes, em Português, mas como moramos em um país de língua inglesa, tento ir inserindo aos poucos também as palavras em inglês, pois logo ele entrará na escola e lá também utilizam os mesmos sinais.

Assisti muitos vídeos no Youtube sobre o assunto, a maioria em inglês, é só colocar “Baby Sign Language” que virá vários e deixo aqui os que a youtuber Flávia Calina fez sobre a linguagem dos sinais para bebês que estão em português:

E aí, ficaram inspirados a ensinar seus pequenos também?

Espero que sim!

Se quiser me seguir do Instagram, posto sempre a evolução do baby em vários aspectos, vale a pena dar uma espiadinha!

Texto: Rô da Rosa
Blog: Mães de Salto Agulha
Instagram: @maesdesaltoagulha

One Comment

  1. Pingback: Linguagem dos Sinais para Bebês – Parte 2 – Mães de Salto Agulha

Comments are closed.