“Nós imaginamos, as crianças não, elas simplesmente acreditam”
Maria Montessori

Esta época do Natal mexe muito comigo, morar longe da família me faz ficar mais nostálgica, me faz refletir o quanto é importante estar perto de quem a gente ama! E é este o SIGNIFICADO do Natal que quero passar ao meu filho!

O Natal vem com um ar diferente, é aquela “magia” que encanta, são árvores enfeitadas e luzes que fazem brilhar nossos olhos e coração, é o momento de doação (material e espiritual), de ser mais flexível, ter mais empatia, aquecer nossos coração com músicas, filmes, muito amor e comidas gostosas, não é mesmo?

E neste turbilhão de emoções vem também a figura do Papai Noel, tão esperado pelas crianças de todo o mundo, e neste momento fiquei na dúvida, alimentar essa fantasia? Ou não? Não há dúvida que quando chega uma criança na família, Natal ganha uma outra dimensão, ganha mais vida, mais alegria e, indiscutivelmente, nos faz refletir ainda mais sobre os valores, tradições religiosas ou não, que queremos transmitir aos nossos filhos.

Natal pra mim, significa estar com quem amamos, experimentar sabores que só tem nesta época do ano, é cozinhar juntos, sentir o cheirinho peculiar de alguma especiaria, é conversar, rir, cantar, lembrar de histórias engraçadas de outros Natais, é ESTAR PRESENTE, muito mais do que ganhar presentes! E o que me dói é ver as crianças só pensando nos presentes que vão ganhar e todo o “resto” fica em segundo plano!

O Papai Noel que deveria ser sinônimo de bondade e generosidade, por vezes aparece como o julgador do “bom” comportamento. Quantas vezes você ja escutou “se não se comportar, o Papai Noel não vem”! E aí aquele chororô e a promessa de que será uma criança boa sempre (até a próxima traquinagem)! Mas quais os valores que queremos passar com isso, de que você só ganhará presente se você se comportar? Ou seja, o “ser bom” por que é certo não faz mais sentido, por que preciso “ser bom” para ganhar presentes!! Vocês já pensaram nisso? Nem vou entrar no mérito da “recomenda, castigos e punição”, porque isso é assunto para outro artigo.

Também não estou aqui julgando quem faz ou fez isso a vida inteira (assunto bem polêmico e que vai de cada família saber o que quer fazer e transmitir aos filhos), estou aqui para refletimos mais profundamente sobre o assunto e, realmente, me assusta ver o quanto o Papai Noel chega sendo um personagem até de temor por muitas crianças, quando deveria vir somente para espalhar alegria, bondade e amor!

Para entender um pouquinho dessa abordagem no Método Montessori, entende-se que entre os 0 e os 6 anos as Crianças têm muita dificuldade em distinguir a realidade da fantasia, e que por este motivo, nesta idade, as coisas devem ser apresentadas da maneira mais real possível, animais que falam, pessoas que voam, tornam-se situações muito difíceis deles entenderem… Quem nunca viu uma criança colocando lençol nas costas e pulando de um lugar alto achando que ia voar? (eu fiz muito dessa!!).

Depois dos 6 anos as Crianças já desenvolvem o que se chama de “Mente Racional”, e com ela uma capacidade de distinguir e racionalizar melhor o que é real do que não o é.

Maria Montessori dizia-nos: “Nós imaginamos, as Crianças não, elas simplesmente acreditam”

O que Maria Montessori nos queria dizer com isto, é que quando nós imaginamos e fantasiamos alguma coisa temos plena consciência de que não é real. Com as Crianças pequenas, isto não acontece, elas simplesmente acreditam e têm como real. E como esta informação é dada pelos adultos que ela mais confia na vida, esta crença passa a ser inquestionável. Quantos de nós não nos lembramos da desilusão de saber que o Papai Noel não existia?

Mas então, o que fazer para não mentir e não perder essa “magia”do Natal?

Vou ser bem sincera, ainda estamos muito pensativos e quis escrever sobre o assunto, justamente, para que se criasse uma reflexão deste tema, mas isolar meu filho desta figura de Natal, não me parece uma alternativa viável!

Então, pensei em dizer a verdade, o Papai Noel é uma figura que representa o Natal! Mas sem enfatizar toda a história por trás da figura, entende? Quero que ele veja os valores que esta “figura” nos mostra, a generosidade, a bondade, a paciência, disposição, gratidão, mostrar que a “magia” do Natal pode durar o Ano inteiro, nos nossos gestos, nas nossas atitudes, palavras, carinho… Estes sentimentos são extremamente reais, e é de absoluta importância que a criança consiga senti-los em relação a nós, seres reais, no mundo real, com pessoas reais. E é esta ideia que Maria Montessori defendia.

Este momento sempre foi tão especial para minha família, que sim, quero passar para ele nossas tradições, quero criar nossas próprias tradições, montar a árvore juntos, fazer atividades diferentes, contar os dias para um “momento especial”, passear para ver as luzes, preparar comidinhas gostosas e natalinas juntos, mostrar que onde moramos faz frio no Natal, mas em algumas partes faz calor e entregar sim presentes, mas de forma a agregar um sentimento de gratidão pelo ano que passou, um sentimento de generosidade e amor e não, simplesmente, por que Natal é sinônimo de presentes e muito menos uma recompensa por um bom comportamento, faz sentido?

Percebemos que em momento algum se fala de religião no Método Montessori. Isto acontece porque Maria Montessori, mesmo sendo religiosa, sempre foi da opinião de que a educação deve ser isenta de qualquer religião, devendo ser sempre respeitadas todas as religiões e culturas.

Dizer que o Papai Noel “existe”, sendo um senhor que está ali disponível para conversar, conhecer a criança, saber dos seus interesses, dar atenção e carinho me parece ser algo bem mais coerente e fácil de assimilar do que um “Ser” que voa com suas renas para entregar presentes para as crianças boas pelo Mundo afora!

E com este artigo, venho abrir um novo ambiente de pensamentos e reflexões do que realmente gostaríamos de transmitir aos nossos filhos, de que existe uma variedade imensa de maneiras para comemorar o Natal, fugindo do consumismo exagerado típicos desta época e ao mesmo tempo, criando neles a maravilhosa sensação de bem estar, nos pequenos detalhes de cheiros, gostos, momentos, olhos brilhando que tantos de nós amamos e trazemos conosco em todos os Natais.

E nada melhor que ter filhos para aprendermos com eles também, que são nos detalhes (leia este texto) que moram as grandes descobertas.

Mas me conta aí, o que é o Natal para você? Como você comemora esta época com seus filhos?

Texto: Rô da Rosa
Blog: Mães de Salto Agulha
Instagram: @maesdesaltoagulha

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.